Organização empresarial: o que é e como ela pode ajudar seu negócio?

Quem cuida de uma empresa sabe das dificuldades cotidianas que ela pode oferecer. Afinal, não é fácil lidar simultaneamente com a gestão dos processos internos, definir as métricas exatas e ainda alcançar os melhores números. 

Levando isso em consideração, a organização empresarial tende a ser bastante decisiva para os rumos de  seu empreendimento. Continue lendo o artigo para compreender melhor o assunto! 

O que é organização empresarial?

Apesar do próprio nome já sugerir do que se trata o conceito, ele tem algumas particularidades que precisam ser bem explicadas. 

A organização ou gestão empresarial tem como principal pressuposto a análise detida de tudo aquilo que ocorre na rotina da empresa. Ela vai da decisão mais simples até a mais complexa, podendo contemplar a definição de uma nova estratégia de marketing ou a aproximação da advocacia preventiva, por exemplo. 

Consiste, sobretudo, na constante análise de todos os processos inerentes ao bom funcionamento da empresa, a fim de aprimorá-los e otimizar todos os resultados atingidos.

Outro ponto que a caracteriza é a frequente integração dos setores (RH, vendas, contabilidade, jurídico etc), já que isso permite uma visão sistêmica a respeito daquilo que carece de melhorias e do que está funcionando conforme as expectativas. 

Quais são as vantagens da organização empresarial?

Ao formatar uma estrutura hierárquica entre os setores e processos e definir um planejamento, aumentam significativamente as chances de seu negócio crescer. 

Para exemplificar, imagine que você designa a um determinado setor a responsabilidade de buscar maiores informações sobre a legislação trabalhista

Essa incumbência, a partir do momento em que foi definida, deve entrar no planejamento e ser acompanhada de perto. Aos poucos, a tendência, nesse caso em específico, é de que você sofra menos com ações trabalhistas, pois se preparou efetivamente para isso. 

Uma boa organização empresarial também ajuda a reduzir os custos, direta e indiretamente. Ao olhar para uma estratégia e ter todos os índices necessários para saber se ela está dando o retorno esperado ou não, você pode redirecionar essa verba para outra finalidade. 

Como melhorar a gestão empresarial de seu negócio?

Antes de tudo, defina um planejamento. Olhe para as necessidades, carências e pontos fortes de todos os setores. Tenha tudo isso devidamente registrado e descrito. 

Com essas informações em mãos, organize as funções e obrigações de cada setor. Ter todas as incumbências bem definidas facilita o trabalho e, consequentemente, traz ganhos para a produtividade — um aspecto que também deve ser mensurado. 

Depois disso, faça um mapeamento de tudo. Com o tempo e as análises corretas, será possível criar índices precisos para medir os resultados e saber, enfim, se estão de acordo com aquilo que foi planejado. 

Outro modo de fazê-lo é contar com uma consultoria especializada. Profissionais desse tipo pojem ajudar com a contabilidade, tributos, assuntos fiscais e econômicos em geral. 

Sendo assim, com uma organização empresarial bem estruturada, sua empresa otimizará os lucros e lidará melhor com as dificuldades que surgem em qualquer gestão. 

Se você gostou do artigo e quer entrar em contato com outros conteúdos relevantes, siga-nos no Facebook e não perca nenhuma novidade!

4 vantagens de se trabalhar com empresa certificada pela iso 9001

Você realmente confia no escritório que faz a contabilidade do seu negócio? Esse é um assunto delicado, pois, qualquer erro pode colocar em risco o que você está construindo. Para isso, com a finalidade de possuir maior segurança, é mais aconselhável trabalhar com uma empresa certificada pela ISO 9001.

É sabido que todo empreendimento, não importa de qual porte seja, deve prezar por uma gestão de qualidade para alcançar o sucesso e se tornar sustentável. Por esse motivo, estabelecem-se normas, regras e valores que servem como referência, tanto para as estratégias internas quanto externas.

A ISO 9001 foi criada com a intenção de ajudar nesse processo de qualificação, por meio de um sistema padrão de condutas aconselháveis de serem seguidas, caso uma organização queira se destacar pela excelência.

Confira neste post 4 vantagens de se optar por escritórios certificados.

1. Garantia na satisfação dos clientes

Quando uma empresa de contabilidade adquire o certificado ISO 9001, ela se destaca das demais por diversos motivos. Um deles é no que se refere à garantia da satisfação dos clientes, pois há nessas normas um compromisso de aperfeiçoamento constante nesse sentido.

Além disso, ao adquirir o selo, automaticamente as medidas internas são alinhadas ao padrão de qualidade exigido por ele, que promove ações com o intuito de motivar os funcionários em seu ambiente de trabalho. Esse fator seguramente também reflete na melhoria da relação com o cliente.

2. Atualização constante

As empresas certificadas recebem regularmente treinamentos por meio de palestras, cursos e ações para manter a excelência proposta pelo selo. Esse alinhamento constante é uma grande vantagem para garantir a manutenção dos serviços realizados e também a atualização relativa às tendências do mercado e às necessidades dos clientes.

Com isso, há um menor risco de queda da qualidade da entrega dos serviços, maior grau de inovação dos processos e a estabilidade necessária para que seu negócio se desenvolva.

3. Confiabilidade

Existem algumas formas de uma empresa conseguir credibilidade no mercado: trabalhando duro para adquirir a confiança de seus clientes — algo que exige tempo e expertise — ou adquirindo algum selo que certifique isso para as pessoas.

É basicamente isso que a ISO 9001 faz: atestar, a partir de critérios padronizados, que uma empresa é confiável. É mais seguro contratar os serviços de quem está sendo cobrado por uma marca forte, afinal, ela tem um nome a zelar, do que não possuir nenhuma garantia disso.

4. Conexão com os propósitos da sustentabilidade

Qualquer empresa nos dias atuais, que queira se destacar, deve demonstrar um posicionamento responsável diante das questões sociais e ambientais. Isso agrega responsabilidade e consciência à marca, além de ser um fator que pesa em uma tomada de decisão.

Ao contratar um escritório sob esses padrões, você também estará contribuindo com a cadeia para tornar o mundo mais consciente.

Conseguiu entender melhor sobre as vantagens de se trabalhar com empresa certificada pela ISO 9001? Ao tomar essa decisão, certamente a sua gestão de contabilidade será feita com excelência.

Se você se interessou em conhecer um escritório com esse selo, entre em contato conosco e fale com um dos nossos consultores especializados. Eles ajudarão você a encontrar o melhor caminho!

Legislação trabalhista: conheça os pontos que mais geram processos

Cumprir a legislação trabalhista deve ser uma preocupação constante dos administradores, independentemente do tamanho do negócio. Isso porque, os deslizes nessa área podem acarretar prejuízos severos para toda e qualquer empresa. 

Nos processos por violação à CLT, é muito comum que as quantias devidas sejam acumuladas em um único pagamento, além de sofrerem a incidência de juros e multas. Logo, facilmente se tornam uma bola de neve e um risco para companhia. 

Sendo assim, leia com bastante atenção o conteúdo do texto de hoje e entenda as principais causas de processos trabalhistas. Prossiga! 

1. Erros na contagem ou pagamento de horas extras 

O período trabalhado além da jornada habitual é um ponto que merece especial atenção dos gestores, uma vez que os erros na contagem e pagamento de horas extras podem ocorrer de diversas formas. Veja alguns exemplos:

  • erros nas marcações de entrada e saída dos colaboradores, bem como dos intervalos dentro da jornada; 

  • não concessão dos períodos de repouso do regime de banco de horas, dentro do prazo legal;

  • acumulo de dívidas com horas extras; 

  • violação do limite de 2 horas extras diárias; 

  • falta de documentos que comprovem o pagamento e os períodos de trabalho; 

  • dentre outros. 

2. Indenizações por danos causados ao trabalhador 

Os empregadores são responsáveis por reparar ou compensar os danos causados aos trabalhadores, durante a relação de emprego. 

Nesse sentido, casos de assédio moral, acidentes de trabalho, doenças ocupacionais e outras lesões físicas ou psicológicas  são motivos frequentes de reclamações perante a Justiça Trabalhista. 

Por isso, os administradores têm de cuidar para que as normas de saúde e segurança sejam devidamente cumpridas, fiscalizando o uso de EPI’s, as condições do ambiente de trabalho e a relação entre os colaboradores. 

3. Descumprimento das obrigações rescisórias 

Em um momento delicado como a rescisão do contrato de emprego, o colaborador não hesitará em propor uma reclamação trabalhista, diante de equívocos ou da falta de pagamento por parte do contratante. 

Isso, inclusive, é incentivado pela legislação trabalhista, uma vez que a multa pelo não pagamento das verbas rescisórias é revertida em favor do trabalhador. 

Sendo assim, é recomendável que as empresas deem especial atenção à dispensa de funcionários, principalmente em relação aos prazos de pagamento e valores devidos. O que pode ser facilitado pela consultoria de advogados, contadores e outros especialistas.

4. Ausência de registro na carteira de trabalho 

Um erro de gestão bastante comum é considerar apenas os benefícios imediatos de uma decisão e ignorar suas consequências de longo prazo. 

Na relação de trabalho, esse equívoco ocorre sempre que alguém admite um colaborador sem efetuar a devida formalização do seu vínculo com a empresa: o famoso não assinar a carteira de trabalho. 

Assim, o empregador reduz o custo imediato daquela contratação, contudo expõe a empresa a um risco desnecessário e excessivo. 

Lá na frente, quando o trabalhador for demitido ou pedir demissão, os valores deixados para trás serão cobrados de uma única vez, somando-se a multas, juros e correção monetária. 

Com efeito, a empresa terá de pagar à vista uma grande quantia, inclusive com a possibilidade de penhora de suas contas bancárias. 

5. Inadimplemento do adicional de insalubridade ou periculosidade  

As atividades que representam riscos físicos ou à saúde dos colaboradores são compensadas com uma remuneração extra, denominada adicional

Acontece que, muitas empresas cometem erros nos cálculos dos valores ou nas classificações das atividades insalubres e perigosas. Logo, são demandadas judicialmente por tais quantias. 

Na verdade, esse e os demais erros apresentados podem ser evitados por meio de algumas boas práticas administrativas: 

  • documentar os principais fatos da relação de trabalho, como contrato, jornada, horas trabalhadas etc.;

  • contar com consultorias especializadas nas áreas contábeis e jurídica, evitando erros de cálculo e de cumprimento de obrigações; 

  • eliminar acordos “por fora”, ou seja, sem a devida formalização; 

  • buscar a solução consensual dos conflitos, sempre considerando os riscos de uma ação judicial. 

Dessa forma, você reduzirá sensivelmente os problemas com a legislação trabalhista e, consequentemente, o volume de processos. 

Para receber outras informações relevantes sobre a gestão de empresas, siga nossas redes sociais

Advocacia preventiva: conheça os benefícios para sua empresa

A advocacia preventiva é uma solução que está adentrando o mercado brasileiro. Muito comum nos Estados Unidos, esse modelo de atuação do direito é pautado na redução de riscos, planejamento e maximização dos lucros do empresário por meio de ações preventivas elaboradas e acompanhadas por um advogado.

Explicando melhor, essa prática jurídica consiste na análise do negócio, identificação de possíveis problemas e correção destes. Sempre munidos das brechas e regras legais, os advogados atuam preventivamente, buscando formas de reduzir os custos do negócio, para evitar processos e precaver contra contratos que serão penosos a longo prazo.

Para entender um pouco mais sobre as vantagens da advocacia preventiva, acompanhe o texto!

Assessoria no gerenciamento de pessoal

Admissões e demissões são processos delicados em sua base. Erros nesses processos geram, respectivamente, funcionários pouco rentáveis para a organização e possíveis reclamantes.

A dificuldade nesses processos se intensificou com as atuais mudanças na CLT, que entram em vigor em novembro deste ano.

Segundo essas mudanças, vários aspectos da relação entre contratante e contratado agora podem ser acordadas e prevalecem perante a lei — isso aponta para a maior necessidade de acompanhamento jurídico na contratação.

Prevenção de litígios

Contratos elaborados de maneira errônea podem trazer, como resultado, os litígios. Para evitar a posição de reclamada, a empresa pode contar com a revisão dos contratos por um especialista, atualizando o que for necessário para resolver tal problema.

Ajuda na adequação das normas trabalhistas

Por serem especialistas na área, os advogados que atuam assessorando empresas entendem como utilizar as normas trabalhistas para otimizar o fluxo de trabalho.

Isso significa estar ciente do que pode ser feito, do que é obrigado constar na empresa e do que é facultativo. Com isso evitam-se custos desnecessários e regras disfuncionais.

Redução de perdas financeiras

A análise de tributos é uma questão complexa dentro das instituições. As mudanças frequentes na carga exigida, a implementação de taxas e as concessões compõem grande parte dos problemas que uma empresa enfrenta com o Estado.

Por outro lado, o planejamento tributário benfeito auxilia na redução do custo de alguns tributos, no cancelamento de outros e na evitação de multas.

Consultoria na elaboração de contratos

Contratos são um objeto com muita força legal. Eles selam o acordo entre duas partes, sejam elas fornecedores, sejam prestadores de serviço ou colaboradores. Por isso, é necessário atualizar, periodicamente, as regras tratadas.

Essa ação evita que a empresa fique presa a normas ultrapassadas e perca dinheiro pela má negociação por falta de conhecimento das partes legais do objeto contratual.

Redução de custos

Adequação às leis trabalhistas, atualização dos contratos e planejamento tributário permitem à empresa conseguir segurança jurídica. Essa segurança auxilia na redução de custos do negócio, já que reduz as taxas dos contratos, evita processos e acaba com acordos dúbios.

Como pôde ser observado, a atuação de um profissional nessa modalidade de advocacia é regulada pelo ato de prevenção. Assim, um bom trabalho nesse caso é percebido pela redução de problemas jurídicos na empresa.

Isso ocorre porque a advocacia preventiva tem o objetivo de evitar que a organização seja levada à Justiça, poupando tempo, dinheiro e esforço.

Agora que a advocacia preventiva está explicada, você pode observar a necessidade dela em sua empresa. Conte, aqui nos comentários, se o trabalho de prevenção poderia trazer benefícios para o seu negócio!

Entenda as principais mudanças na Lei do Motorista

Determinada em março de 2015, a lei 13.103/2015, ou Lei do Motorista, trouxe regulamentações para o exercício da profissão do motorista de passageiros ou de cargas.

Sua aplicação envolve desde o período de descanso até a submissão dos motoristas a exames toxicológicos periódicos, além de muitos outros pontos que afetam diretamente a rotina desses profissionais. 

Para entender tudo que mudou com a chegada da Lei do Motorista, separamos algumas das principais mudanças para você. Confira: 

Controle e registro

O direito do motorista de ter a jornada de trabalho totalmente controlada e registrada em diário de bordo ou sistemas eletrônicos de contagem continua igual. Só que agora, além de um direito do empregado, isso passa a ser um dever do empregador, ou seja, uma obrigação compartilhada. 

Para tanto, é necessário que seja acertado um sistema eficaz para aferir essas horas de trabalho/repouso do motorista e garantir que nenhum dos lados saia prejudicado. 

Jornada de trabalho

Assim como qualquer trabalhador assalariado, os motoristas terão jornadas de trabalho de oito horas por dia, podendo prorrogar em até duas horas extras ou, se previsto anteriormente, até quatro horas extraordinárias. 

Vale lembrar que todo o tempo no qual o motorista está à disposição do empregador é considerado como trabalho efetivo. 

Não são considerados como parte da jornada de trabalho os intervalos para refeição, que são no mínimo de uma hora e podem ou não coincidir com a parada obrigatória.

O período de aguardo pela carga ou descarga do veículo, como também o tempo de fiscalização da mercadoria, são considerados tempos de espera e, por isso, também desconsiderado.

Tempo de direção 

O motorista profissional de veículos de transporte rodoviário de cargas não pode dirigir por mais de cinco horas e meia ininterruptas.

Apesar da carga horária comentada no tópico anterior, a lei estabelece o descanso obrigatório de 30 minutos a cada 4 horas para condutores de veículos rodoviários de passageiros e a cada 6 horas para condutores de veículo de transporte de carga. 

Tempo de espera

Quando o tempo de espera for maior que duas horas, poderá ser considerado como repouso, desde que o motorista não tenha que permanecer junto ao veículo e o local ofereça as condições adequadas para o descanso. 

Descanso

Depois de 24 horas de trabalho, o condutor profissional tem direito a 11 horas de descanso, que podem ser fracionadas ou não, garantindo, pelo menos, 8 horas ininterruptas. 

Seguro obrigatório para o motorista empregado 

A nova legislação estabelece que todo motorista profissional tem direito ao seguro obrigatório, totalmente custeado pelo empregador. 

Esse seguro tem valor mínimo de, pelo menos, 10 vezes o piso salarial da categoria ou valor superior ao fixado em Convenção/Acordo Coletivo de Trabalho e deve ser destinado à cobertura de morte natural, morte por acidente, translado e auxílio-funeral. 

Exames toxicológicos

Todo motorista profissional deverá ser submetido a exames toxicológicos na admissão e no desligamento da função, com direito a recurso e confidencialidade de resultados. 

Fica estabelecido também que o condutor deverá participar de um programa de controle do uso de álcool e de drogas, determinados pelo empregador, pelo menos uma vez a cada dois anos e seis meses. 

Perdão de multas

A lei prevê o perdão de multas por excesso de peso recebidas nos últimos dois anos e também determina que o contratante do frete seja o responsável por prejuízos com infrações por transporte de carga por excesso de peso ou irregularidade na checagem com a nota fiscal. 

Pedágio

Veículos de transportes de cargas que circularem vazios, agora não pagarão pedágio sobre os eixos que estiverem suspensos. 

Direção dividida

No caso do empregador determinar dois motoristas para um mesmo veículo, o tempo de repouso poderá acontecer com o veículo em movimento, desde que seja assegurado o período mínimo de seis horas consecutivas fora do veículo em alojamento externo ou, em caso de cabine leito, com o veículo estacionado a cada 72 horas. 

Agora que você já sabe tudo que mudou com a lei do motorista, continue se atualizando com assuntos relevantes para o sucesso do seu negócio assinando nossa newsletter!